Curso de Gestante para Beneficiários da Cabep

conteudo-internet

http://www.cabesp.com.br/Home/Noticia/Visualizar/294

Anúncios

Jogo para Alfabetização

08-05-15

Material:

– papelão

– cartolina rosa

– cartolina azul

– pregadores

-canetinha

– cola

-tesoura

Modo de fazer:

– Pegue o papelão e desenhe um circulo grande e recorte

– Faça o mesmo circulo na cartolina rosa e recorte

– cole cartolina rosa sobre o papelão

– com auxilio da régua faça vários quadrados de mesmo tamanho

– Em cada quadrado escreva uma letra do alfabeto

– Recorte os quadrados

– Cole os quadrados em ordem alfabética no circulo rosa

– com uma canetinha escreva uma letra do alfabeto em cada pregador

Como brincar:

Peça para criança colocar o pregador na letra correspondente. Essa é uma brincadeira que envolve conhecimento de alfabetização, memória, atenção, coordenação motora fina e fortalecimento do movimento de pinça dos dedos da mão.

Sugestão:

Você pode deixar os pregadores embaralhados e pedir para ir colocando em ordem alfabética. Ao invés de forma aleatória conforme vai encontrando os pregadores.

Diretrizes Reabilitação da Pessoa com Acidente Vascular Cerebral

diretrize avc

 

O objetivo da diretriz é fornecer orientações às equipes multiprofissionais de Saúde especificamente quanto aos cuidados em reabilitação, considerando as alterações físicas, auditivas, visuais, intelectuais e emocionais das pessoas que sofreram AVC.

Segundo o Relatório Mundial sobre a Deficiência, publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em parceria com o Banco Mundial, em 2011, mais de um bilhão de pessoas no mundo convivem com algum tipo de deficiência. Esta é considerada uma questão de direitos humanos, porque essas pessoas enfrentam desigualdades, por exemplo, quando não têm acesso igualitário aos serviços de saúde, educação, emprego ou participação política em função de sua deficiência.

Essa afirmação exige atenção aos cuidados para que esses indivíduos possam ser atendidos considerando todas as suas necessidades. A Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência destaca, entre outros aspectos, a reabilitação.

Nesse sentido, enfatiza que os Estados partes devem adotar medidas efetivas e apropriadas para possibilitar que as pessoas com deficiência conquistem e conservem o máximo de autonomia e plena capacidade física, mental, social e profissional, bem como plena inclusão e participação em todos os aspectos da vida.

Para tanto, deverão ser organizados, fortalecidos e ampliados serviços e programas completos de reabilitação, além da promoção da capacitação inicial e continuada de profissionais e de equipes. Segundo dados da World Stroke Organization (Organização Mundial de AVC), um em cada seis indivíduos no mundo terá um AVC ao longo de seu curso de vida. Tais dados chamam atenção para a importância de ações voltadas à vigilância à saúde dessas pessoas, tanto no sentido de reabilitação quanto de prevenção e promoção da saúde, a fim de favorecer a qualidade de vida da população.

Estas informações sustentam a importância dos cuidados à pessoa com AVC no tocante às suas necessidades nos diferentes níveis de atenção do Sistema Único de Saúde (SUS). Em face destes dados, faz-se imprescindível a todos os profissionais de Saúde o conhecimento sobre os aspectos conceituais, epidemiológicos e preventivos do AVC, com o foco no desenvolvimento de metas voltadas para o cuidado dessas pessoas.

diretrizes_atencao_reabilitacao_acidente_vascular_cerebral

Faça o download:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_atencao_reabilitacao_acidente_vascular_cerebral.pdf

Crianças com deficiência física de Salvador praticam Karatê.

reportag_reabilita2_606x455

 

Mizael nasceu prematuro. Aos 6 meses de gestação, o garoto veio ao mundo pesando apenas 610 gramas. Tainá, por outro lado, nasceu depois da hora. Foram 11 dias lutando pela vida na UTI. Já Vinícius ficou sem oxigenação na hora de nascer. Assim como, aproximadamente, cem crianças que frequentam o Instituto Baiano de Reabilitação, Mizael, Tainá e Vinícius cresceram com dificuldades e viram no esporte uma chance para terem uma vida mais parecida com a de outras crianças.

Toda semana, as crianças frequentam as aulas de karatê e natação. Por meio dos esportes, elas desenvolvem uma série de habilidades, que vão do equilíbrio à capacidade de correr.

É o caso de Tainá. Quando era mais nova, a garota não conseguia sequer se sentar. Só aprendeu a andar aos quatro anos de idade. Porém, depois de começar a fazer as aulas, a Tainá não para de correr.

Vinícius também tinha dificuldade para se movimentar. Sua mãe recorda que o garoto não aprendeu a sentar ou engatinhar como outras crianças. Depois de entrar para o projeto, Vinícius desenvolveu equilíbrio para realizar diversas atividades, como o karatê, a natação e até mesmo o futebol. Confira as histórias de Mizael, Tainá e Vinícius no vídeo acima.

http://redeglobo.globo.com/como-sera/noticia/2015/04/por-meio-do-esporte-criancas-de-salvador-superam-deficiencia-fisica.html

Como Organizar Brinquedoteca!

infografico-cantos-da-creche

 

http://gestaoescolar.abril.com.br/espaco/diversao-aprendizagem-infografico-brinquedoteca-697513.shtml

Com a falta de espaços adequados para brincar na rua, somada a hábitos solitários – como a permanência em frente à televisão e ao computador -, a escola se torna um importante local para intensificar o convívio entre as crianças além da sala de aula. Um dos espaços privilegiados para isso é a brinquedoteca, que, mais do que diversão, também se caracteriza por ser um ambiente de aprendizagem – e, portanto, deve ser usada mediante um planejamento adequado.

Conciliar ambos – aprendizagem e livre brincar – é um grande desafio. “Primeiro, é preciso qualificar as atividades que serão propostas, criando condições adequadas para estimular a criatividade”, explica Leila Peters, professora e pesquisadora da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O mais comum é que os gestores optem por instalar cantos temáticos, como o do circo e o das atividades de pintura. Claro que, quanto mais espaço houver, maior o número de opções a oferecer. Contudo, uma brinquedoteca não exige uma infraestrutura sofisticada e pode ser montada numa sala, com as adaptações necessárias para garantir o conforto e a segurança dos usuários.

Móveis, decoração, brinquedos e jogos devem ser escolhidos levando em consideração as especificidades do segmento ao qual a brinquedoteca se destina. Nesta reportagem, vamos mostrar um modelo para os alunos da primeira etapa do Ensino Fundamental (veja os infográficos desta reportagem). Para essa faixa etária, o ideal é oferecer jogos de tabuleiro, peças de montar, kits para experimentos científicos, bonecas e bonecos, fantasias, miniaturas diversas – de meios de transporte e equipamentos urbanos etc. – e objetos que simulem a vida cotidiana dos adultos, como móveis de escritório, de casa e de hospital, entre outros. Tudo o que for colocado à disposição dos alunos deve ter o certificado do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), uma garantia de que os objetos não oferecem perigo ao serem manipulados.

Embora todo o espaço tenha de ter um planejamento cuidadoso, Rose Maria de Souza, professora do curso de Educação Física da Universidade Metodista de São Paulo, chama a atenção ainda para se evitar o direcionamento das atividades: “A professora não deve definir previamente quem vai brincar com o quê por detereminado tempo, mas deixar que as crianças façam suas escolhas.” O ideal é reservar períodos maiores do que a duração de uma aula para as atividades na brinquedoteca e deixá-la sempre aberta a fim de que seja bem explorada por todos.

Ao gestor cabe garantir que essa sala esteja sempre bem equipada e em segurança e que os educadores valorizem o espaço, contemplando a importância do brincar nos momentos de formação em serviço de professores e funcionários.

Vamos construir um Jogo resta um?

24-04-15

 

Material:

– Papelão

– cartolina

-régua

-tesoura

-canetinha

-32 tampinhas de garrafa Pet

Modo de fazer:

– Faça o desenho na cartolina conforme a imagem

– utilize régua para fazer os quadrados

– Depois cole no papelão

– Retire as rebarbas das tampinhas de garrafa pet

Como brincar:

Este é um jogo de raciocínio.

Jogo sem parceiros. Jogo individual.

Possui as regras de eliminar peças. Os movimentos permitidos são lineares (horizontal e vertical), não pode em diagonal. É permitido movimentos de frente e para trás da peça.

Objetivo é eliminar todas peças. Restar apenas uma! Será um grande desafio.

 

Sugestões:

Você pode sugerir um placar. Anotando dia, quantidade de peças e tempo de duração do jogo. Conforme o seu filho for aprimorando as jogadas, vai diminuir o número restante de peças. E realizará em menor tempo.